Refeição para diabéticos e Orientações para diabéticos

Tempo de leitura: 6 minutos

Nas refeição para diabetes deve-se evitar especialmente o consumo de açúcar simples e de alimentos ricos em farinha branca. Além disso, também é preciso reduzir o consumo de grandes quantidades de qualquer alimento rico em carboidrato, mesmo que sejam saudáveis, como frutas, arroz integral e aveia.

Isso porque o excesso de carboidrato numa mesma refeição estimula o aumento da glicemia, levando ao descontrole da diabetes. Vamos ver mais dicas a seguir:

Alimentos permitidos na Diabetes tipo 2

Os alimentos permitidos na dieta para diabetes tipo 2 são aqueles ricos em fibras, proteínas e gorduras boas, como:

  • Grãos integrais: farinha de trigo, arroz e macarrão integrais, aveia, pipoca;
  • Leguminosas: feijão, soja, grão-de-bico, lentilha, ervilha;
  • Legumes em geral, exceto batata, batata doce, macaxeira e inhame, pois têm elevada concentração de carboidratos e devem ser consumidos em pequenas porções;
  • Carnes em geral, exceto carnes processadas, como presunto, peito de peru, salsicha, linguiça, bacon, mortadela e salame;
  • Frutas em geral, desde que consumidas 1 unidade por vez;
  • Gorduras boas: abacate, coco, azeite, óleo de coco e manteiga;
  • Oleaginosas: castanhas, amendoim, avelãs, nozes e amêndoas;
  • Leite e derivados, devendo-se ter atenção para escolher iogurtes sem adição de açúcar.

É importante lembrar que os tubérculos, como batata inglesa, batata doce, macaxeira e inhame são alimentos saudáveis, mas que por serem ricos em carboidratos, também devem ser consumidos em pequenas quantidades.

Frutas mais indicadas para quem tem diabetes

Maçã:

Ela é boa por ser fonte de diversas vitaminas, mas, na dieta de quem tem diabetes, o que ganha destaque é uma fibra chamada pectina. Ela se mostra eficiente não só no controle da glicemia como também na redução do mau colesterol. Segundo Vânia, a combinação dessa fruta cozida com canela tem resultados ainda melhores, pois prolonga a sensação de saciedade.

Blueberry:

Embora não seja uma fruta típica do Brasil, a blueberry desempenha um papel importantíssimo na dieta de quem tem diabetes. ?Ela tem alto poder antioxidante, reduzindo a ação dos radicais livres – associados ao envelhecimento – e prevenindo câncer, doenças cardíacas, mal de Alzheimer e muitas outras doenças?, explica a endocrinologista. Além disso, ela combate infecções e impulsiona o sistema imunológico. Fique atento, porém, ao fato de ela ter um índice glicêmico altíssimo.

Abacate:

Por quase não conter açúcar e por ser rico em uma gordura que aumenta o bom colesterol, o abacate é uma fruta bastante indicada para portadores do diabetes. Além disso, essa gordura nobre deixa o processo de absorção dos alimentos mais lento, prolongando o tempo de saciedade, aponta a endocrinologista Vânia. No entanto, a fruta é bastante calórica e deve ser consumida com moderação, principalmente, por quem está acima do peso.

Cereja:

A cor vermelha da cereja já denuncia a sua alta concentração de flavonoides, compostos com alto poder antioxidante, antiinflamatório, antiviral, antialérgico e anticarcinogênico – combatentes do câncer. “Ela também é composta pelas vitaminas A, C e E que, juntas, são capazes de restringir a propagação das reações em cadeia e as lesões induzidas pelos radicais livres, responsáveis por danificar células sadias do corpo”, explica Vânia. Entretanto, assim como a blueberry, ela eleva os níveis glicêmicos.

Limão:

Rico em ácido cítrico e ácido ascórbico, o limão atua beneficamente em diferentes partes do corpo. Primeiro, ele evita hemorragias, uma grande preocupação para quem tem diabetes, já que a dificuldade de cicatrização e a consequente possibilidade de infecções são maiores. Além disso, a alta concentração de ácido nicotínico protege as artérias, prevenindo problemas cardiovasculares, uma tendência para quem tem a doença. Por fim, ele diminui a viscosidade do sangue, o que é essencial, uma vez que, junto com o diabetes, existem alterações que predispõe a um maior risco de trombose.

Amora:

Embora tenha um índice glicêmico alto, a amora é rica em compostos que estimulam e aceleram a liberação de insulina, melhorando a síntese de glicose. Essa fruta também é responsável por normalizar a pressão arterial e atuar como bactericida e antiinflamatório, completa Vânia.

Publicidade

Coco:

“Por ser rico em ácidos graxos e ácido láurico, o coco é um importante combatente de bactérias e fungos”, explica a endocrinologista. Tais substâncias também cumprem um papel importante na nutrição das células intestinais, enriquecendo a imunidade. Por fim, a gordura do coco favorece a saciedade e reduz a inflamações, além de ser um alimento que reduz a carga glicêmica, especialmente quando combinada com outras frutas ou carboidratos.

Canela:

Auxilia no controle glicêmico, responsável por regular os níveis de glicose no sangue, impedindo a rápida liberação de grandes quantidades açúcar (hiperglicemia). Pode ser acrescentado nas refeições, mas sem exageros. Lembre-se apenas que não substitui medicação alguma e que tal resposta acontece de diferentes maneiras para cada indivíduo.

Diabetes tipo 2: conheça os mitos e verdades

O mito – É possível curar o diabetes

A verdade – Existem vários estudos sérios para achar a cura, mas nada ainda que possa ser afirmado. “Portanto, cuidado com falsas promessas disseminadas na internet”, reforça Andressa.

O mito – diabéticos podem ter mais gripes e resfriados

A verdade – não há relação. O que os médicos indicam é que portadores de diabetes tomem a vacina, pois gripes e resfriados costumam dificultar o controle do diabetes, levando a complicações.

O mito – só obesos têm diabetes tipo 2

A verdade – embora o sobrepeso seja um fator, não é causa única. A doença também está associada ao histórico da família e à idade. Muitas pessoas consideradas magras também são diabéticas.

O mito – diabéticos não podem comer pães, batata e massas

A verdade – não há restrições, o que se deve fazer é controlar a porção. Isso porque a alimentação saudável é a chave da boa saúde. Os diabéticos que precisam controlar a quantidade de carboidrato ingerida devem ficar atentos aos níveis de glicose, para saber a porção certa desses alimentos a ser ingerida.

Como pessoas comuns estão revertendo Diabetes tipo 2 e Pré-Diabetes em 4 semanas naturalmente e sem efeitos colaterais!

Publicidade