O que é o Lugol? E quais são os benefícios do iodo?

Solução lugol 5% é o nome dado à combinação de Iodo Metaloide e Iodeto de Potássio. O nome foi dado pelo químico francês Jean Lugol a um preparado de iodo explorado desde o século XIX, que visa remediar as disfunções da tireoide.
O Iodo é essencial para o metabolismo da tireoide, mamas, mucosa gástrica e próstata.

Ao mesmo tempo, também é um poderoso eliminador de toxinas do organismo e modulador do sistema imune.
O iodo é encontrado em quantidades variáveis nos alimentos e na água, sendo que as fontes mais ricas são: sal marinho, peixes de água salgada e frutos-do-mar, tais como moluscos bivalves, lagostas, ostras, camarão, sardinhas, bacalhau.

O leite e seus derivados também contêm quantidade importante de iodo, esse mineral pode também ser encontrado em legumes (vagem, agrião, cebola, alho-poró, rabanete, nabo) e em certas frutas (abacaxi, groselhas, ameixas).

Enfim, o iodo é uma das substâncias mais importantes para a saúde e, para a produção dos hormônios da tireoide e regulação metabólica.

O que é o Lugol? Conheça a tintura de iodo – Lugol 5 por cento

lugol 5 para que serve

O lugol é um suplemento a base de iodo, sendo assim vai agir em todo o organismo promovendo a melhoria e bem-estar geral da saúde.

A saber, o nome Lugol é uma homenagem prestada ao médico francês “Dr.Jean Guillaume Auguste Lugol”. No ano de 1829, ele teve a excelente ideia de misturar iodo com iodeto para tornar o iodo solúvel.

A tintura de iodo ajuda na manutenção e no bom funcionamento da glândula tireóide, com melhora na produção de hormônios. Mas não é só isso.

Nas mulheres, ajuda no controle da síntese dos hormônios estrogênio, beneficiando também os ovários, mamas e útero. Já nos homens, melhora a saúde da próstata que depende de níveis adequados de iodo.

Ao mesmo tempo, ajuda a prevenir o hipotireoidismo e hipertireoidismo, melhorando a resposta do sistema imunológico, assim como vários órgãos se beneficiam do lugol como glândulas salivares, esôfago, estômago, músculos e pele.

Um exemplo dos benefícios do consumo de altos níveis de iodo é da população japonesa. Os japoneses em média, consome uma quantia de aproximadamente (13 mg) de iodo por dia, o que corresponderia a 2 gotas de Lugol.

O motivo desse alto valor é que na alimentação tradicional japonesa, é a base de algas que são ricas em iodo, e o benefício desta dieta é se reflete na excelente qualidade de vida, e longevidade que os japoneses alcançaram.

Lugol efeitos colaterais

Pode ocorrer reações adversas devido ao efeito detox, justamente por ele eliminar os halogênios que competem com o iodo, ou seja, o bromo, flúor e cloro. Portanto, são comuns pessoas ter efeitos colaterais, logo no início do uso do Lugol, devido à reação de Jarisch-Herxheimer.

Assim, as toxinas presentes no tecido adiposo passarão a ser eliminadas e serão transportadas pelo sangue, podendo ocorrer enjoo, tontura e gosto metálico na boca. O uso em excesso pode desregular a tireoide.

Os médicos defensores: e os contrários ao uso do Lugol!

Um dos defensores mais conhecidos do Lugol é o renomado cardiologista e nutrólogo, Dr. Lair Ribeiro, que indica a suplementação até mesmo para pacientes de Tireoidite de Hashimoto, desde que seu uso seja feito em conjunto com o mineral selênio, que ajuda a diminuir possíveis reações adversar do iodo.

Contudo, a discussão no meio científico é se a simples reposição do selênio seria suficiente para contrabalancear completamente altas doses de iodo. Entretanto, pessoas com predisposição genética para formação de mediadores inflamatórios, terão o processo autoimune alimentado e com isso a solução poderia não surgir efeitos positivos. Do mesmo modo, que excesso de iodo é relacionado ao hipotireoidismo, uma vez que o processamento do iodo exige a formação do radical livre peróxido de hidrogênio.

Para a Dra. Izabella Wentz, com formação em farmacologista, pesquisadora dedicada à saúde da tireoide, a alta dosagem de iodo cria uma situação desconfortável para portadores de Hashimoto.

Em seu argumento, a Dra. explica que na suplementação há um ganho inicial de energia provocado pelo iodo, mas esse ganho não se sustenta e posteriormente a pessoa acaba por se sentir pior. Dessa maneira, o pico inicial de energia acontece pela aceleração da destruição da tireoide que libera mais hormônios na circulação, e uma parte dos pacientes têm a inflamação da tireoide piorada por conta do excesso de iodo.

Para Sociedade Brasileira de Endocrinologia, e Metabologia ambas possui posicionamento contrário a suplementação, em qualquer indivíduo, recomendando apenas em casos de “preparo pré-operatório de pacientes com hipertireoidismo por doença de Graves e à crise tireotóxica”. Veja o vídeo abaixo:

Conclusão: Tomar ou não Lugol?

Em conclusão, é sua missão analisar todos os pontos, riscos x benefícios, pesquisar, dialogar com vários profissionais de saúde. Enfim, desde médicos da linha mais “tradicional” que não aconselha o uso do lugol, até mesmo profissionais da área integrativa ou funcional que normalmente prescrevem lugol. Ponha na balança todos os pontos e sinta-se confortável em sua decisão, antes de iniciar o tratamento com a solução de lugol, ou qualquer outra coisa.

Em contrapartida, tenha muita atenção especial, caso você tenha sido diagnosticado com Tireoidite de Hashimoto. Caso você queira fazer uso do lugol, é importante que você faça em conjunto com selênio.

Como saber o se o iodo para tireoide está ideal?

De acordo com a OMS – Organização Mundial da Saúde – a quantidade média de iodo a ser ingerida por dia é de

  • Bebês de 0 até 1 ano: 90 microgramas (mcg) por dia ou 15 mcg/kg/dia
  • Crianças de 1 ano a 6 anos: 90 mcg por dia ou 6 mcg/kg/dia
  • Crianças de 7 a 12 anos: 120 mcg por dia ou 4,0 mcg/kg/dia
  • Adolescentes e adultos: 150 mcg por dia ou 2,0 mcg/kg/dia
  • Gestantes e lactantes: necessidades chegam a 200 mcg por dia ou 3,5 mcg/kg/dia.

consumo insuficiente de iodo pode gerar problemas como hipotireoidismo, aumento da glândula da tireoide, deficiência mental e outros como:

  • Crescimento tumoral
  • Quistos dos ovários
  • Reações alérgicas autoimunes
  • Cicatrizes com queloides
  • Fístulas,
  • Hemorróidas
  • Quistes sebáceos
  • Infecções vaginais
  • Doença de Dupuytren como na de Lapeyronie.

Onde comprar o Lugol?

Você encontra a solução / tintura de iodo Lugol 5% em lojas de produtos orgânicos, ou em farmácia de manipulação. 

As informações contidas nesse artigo têm caráter informativo, portanto não são utilizadas para auto-diagnóstico, auto-tratamento ou auto-medicação.