O que é endocrinologia e principais doenças tratadas

O que é endocrinologia e principais doenças tratadas

A endocrinologia consiste em uma especialidade da comunidade médica.

Ela trata, especialmente, doenças, enfermidades e outras ordens que afetem o sistema endócrino humano.

A palavra “endocrinologia” vem do grego endokrino – enquanto ‘endo’ significa algo como “interno”, ‘krino’ se refere à função de secretar ou de separar. Sendo assim, a endocrinologia está relacionada à secreção interna, que nada mais é do que uma forma científica de falar sobre os hormônios.

endocrinologia é uma especialidade médica consideravelmente recente, já que ela passou a ser estudada e incorporada no Brasil apenas na década de 80. O ramo cuida especialmente das glândulas endócrinas.

As glândulas, por sua vez, consistem em pequenos órgãos responsáveis pela produção de componentes e substâncias que atuam no funcionamento do organismo. O organismo humano é formado por dois diferentes tipos de glândulas: as glândulas endócrinas (conhecidas popularmente como hormônios, sendo elas secretadas diretamente no sangue) e as glândulas exócrinas (que são exteriores ao corpo).

As principais doenças tratadas pelo endocrinologista!

No caso da especialidade de endocrinologia, as glândulas estudadas são as endócrinas, que atuam no regulamento e controle de vários órgãos e funções do corpo – como a reprodução, o desenvolvimento e crescimento, a sintetização de proteínas, carboidratos e outros, a produção dos tecidos musculares, o controle do sono, da libido e de várias outras funções.

Neste sentido, o médico que atua na área de endocrinologia corrige e trata disfunções fisiológicas causadas pela desordem de glândulas endócrinas ou de hormônios.

Alguns exemplos de tratamentos realizados pelo médico especialista em endocrinologia são: tratamento de diferentes tipos de cancros (ou seja, câncer); obesidade por razões mórbidas; disfunções de glândula hipófise (localizada no encéfalo e responsável por uma série de funções metabólicas); diagnóstico, acompanhamento e tratamento de indivíduos diabéticos; tratamento de desordens no ciclo menstrual feminino e até mesmo de doenças relacionadas à produção excessiva ou restrita de suco gástrico.

endocrinologia, assim como outras especialidades médicas, também conta com áreas específicas de estudo. São elas: diabetes, endocrinologia feminina ou masculina, adrenais, obesidade, tireoide, metabolização de proteínas, carboidratos ou lipídios, neuroendocrinologia (especialidade que estuda disfunções em glândulas/hormônios cerebrais), síndromes poliglandulares (ou seja, em várias glândulas) e até mesmo tumores neuroendócrinos.

O Sistema Endócrino

o que é o endocrinologista

Sistema Endócrino atua lado a lado com o Sistema Nervoso Cerebral. Isso porque o seu funcionamento implica no regulamento e no controle das principais funções do organismo humano.

Só para você ter uma ideia, o sistema endócrino é o responsável pelo desenvolvimento dos tecidos musculares, pela distribuição de água pelo corpo, pela metabolização de carboidratos e demais nutrientes essenciais para o organismo e até mesmo pelo crescimento corporal (o que se dá pela sintetização de proteínas e adequada velocidade de multiplicação/divisão de células).

Mas afinal, como o sistema endócrino funciona?

Vamos lá. Para que seja possível compreender o funcionamento do sistema endócrino, o primeiro passo é saber que ele é composto por uma grande variedade de glândulas, sendo elas denominadas glândulas endócrinas.

As glândulas endócrinas secretam na corrente sanguínea os hormônios, que em seguida, atingem tecidos celulares de diferentes partes do corpo humano. Os hormônios, por sua vez, são capazes de inibir ou de estimular funções do tipo metabólicas.

Milhares são os hormônios presentes em nosso organismo, e cada um deles atua, apenas, em células específicas, ou seja, em suas “células-alvo”. Além disso, existem ainda os hormônios que atuam em oposição ou em grupo com outros.

As principais glândulas que compõem o sistema endócrino

Entre as principais glândulas que compõem o sistema endócrino podemos destacar: glândula pineal (localizada na região central cerebral); glândula tireoide (localizada no pescoço e responsável por regular o metabolismo das células); glândula hipófise (localizada no encéfalo, ou seja, em uma das mais importantes partes do cérebro); pâncreas; glândulas suprarrenais, testículos (para os homens) e ovários (nas mulheres).

Cada uma das glândulas apresentadas anteriormente assume uma diferente função no organismo do indivíduo. Enquanto algumas são responsáveis pelo crescimento do corpo, outras podem aumentar ou diminuir a libido (ou seja, o desejo sexual). Algumas estimulam o próprio processo de oxidação de alimentos, outras facilitam a absorção de glicose (açúcar) no tecido celular, outras promovem a síntese proteica (ou de outros nutrientes) no organismo e assim por diante.

As glândulas endócrinas são tão importantes que podem regular até mesmo o nosso sono, fome e outras funções básicas e fundamentais do nosso organismo – principalmente pela atuação em conjunto com o sistema nervoso cerebral.

O desenvolvimento da criança e o endocrinologista

É de extrema importância que seu filho (a) tenha um acompanhamento médico durante a fase inicial da vida (recém-nascido e criança) e adolescência. São nessas duas fases que podem aparecer distúrbios que poderão ser corrigidos pelo médico endocrinologista, que deve ser médico pediatra atuante na área de Endocrinologia Pediátrica.

Logo quando o bebê nasce (entre 48 e 72 horas de vida), é imprescindível o teste do pezinho, é neste teste que se podem identificar possíveis doenças ligadas a alterações cerebrais. Contudo, é importante destacar que se o teste der negativo, não exclui cem por cento uma possível alteração ou distúrbio. Algumas vezes são preciso um teste laboratorial para ter certeza.

O médico endocrinologista pode acompanhar o desenvolvimento do seu filho

Até os 20 anos, a criança e o adolescente passam por diversas transformações hormonais, tanto no crescimento quanto no próprio metabolismo e essas mudanças precisam ser acompanhadas e observadas de perto. É importante prestar atenção nos sinais, desde o comecinho da vida do recém-nascido.

O crescimento é um dos distúrbios mais comuns durante a essas fases e deve-se ficar atento aos sinais. Um crescimento normal deve-se levar em conta o padrão genético da criança, se os pais tiverem uma estrutura baixa, o filho possivelmente terá. Contudo, se os pais forem altos e a criança não estiver desenvolvendo o crescimento adequadamente, aí é imprescindível a experiência do médico para saber o que está acontecendo e quais as medidas que devem ser tomadas diante deste distúrbio.

Endocrinologista infantil

Outro distúrbio um pouco frequente é a Puberdade Precoce, que deve ocorrer nas meninas entre 8 a 12 anos e nos meninos entre 9 a 14 anos. Quando a puberdade se inicia em meninas a partir dos 6 anos e em meninos a partir dos 7 anos, são consideradas Puberdade Precoce. Levando a tratamentos e investigações sobre o caso, pois cada indivíduo tem uma história e uma genética, é preciso estudar cada caso individualmente.

Tem casos em que a puberdade chega muito tarde, ou seja, alguns anos mais tarde do que o esperado. Neste caso a preocupação é menor e na maioria das vezes não precisa de tratamento, pois não há prejuízo na estrutura final do adolescente. Mas é essencial a consulta médica para saber exatamente o que acontece com cada adolescente.


Michele Salvino
Meu nome é Michele Salvino. Estou no último semestre da faculdade de Nutrição. Sou apaixonada pelo estilo de vida saudável, por práticas que facilitem o bem-estar.