Fibromialgia: conheça as principais comorbidades desta doença e saiba como trata-las

Tempo de leitura: 3 minutos

Longe de ser uma doença psicológica ou até mesmo uma “frescurinha” por parte de quem a sente, a fibromialgia é uma doença séria, que acomete principalmente mulheres jovens e de meia idade.

Para se ter uma ideia, estudos confirmam que o processamento do Sistema Nervoso Central de pacientes que possuem essa doença, funciona de maneira diferente daqueles que não a tem. De modo que em razão de algumas alterações, o cérebro delas processa a dor de forma mais intensa.  

Ou seja, a fibromialgia não é frescura, mas sim uma síndrome neurológica, que como qualquer outra doença, precisa ser tratada antes que seus sintomas se agravem.

Mas e então, quais são as principais características da fibromialgia?

Caracterizada por apresentar quadros intensos de dor, causados por uma hipersensibilidade a estímulos externos, essa doença que por sua vez é silenciosa, apresenta seu primeiro indício através de uma intensa e persistente dor em determinadas regiões do corpo – principalmente na musculatura – e que evolui gradativamente até atingir todas as partes do corpo.

Os sintomas da doença variam de acordo com cada paciente. Alguns apresentam dores leves a moderadas, enquanto outros se queixam de dores agudas e insustentáveis.

E infelizmente não existe cura para essa doença.

No entanto, tratamentos paliativos e extremamente eficazes, ajudam esses pacientes a terem um estilo de vida “menos sofrível” se assim pode dizer.

Ah, é importante lembrar que em muitos casos os sintomas da doença diminuem significativamente.

Além da dor, é bastante comum, pacientes queixarem de outros problemas. Em geral, eles relatam que antes da fibromialgia, essas perturbações não faziam parte de seu dia a dia.

Essas perturbações de que falam, não são nada menos que as comorbidades – que infelizmente muito comuns –  acompanham essa doença.

E provavelmente foi para descobrir quais são que você veio parar aqui.

Saiba então quais são as principais comorbidades da fibromialgia e como trata-las:

  • Fadiga Crônica

A fadiga acompanha 80% a 90% desses pacientes. Em alguns casos, ela é tão grave que pacientes chegam a relatar sua incapacidade em realizar pequenas tarefas do dia a dia.

Um dos métodos mais eficazes para tratar essa condição, é a combinação da terapia psicológica com um programa de exercícios leves, preparados por um fisioterapeuta.

  • Enxaqueca

Em grau de incidência menor que a fadiga crônica, a enxaqueca acomete cerca de 60% dos pacientes com fibromialgia e sua presença influencia fortemente o aparecimento da próxima comorbidade. A alteração do modo cognitivo.

Pacientes relatam que uma boa dose de acupuntura associada a analgésicos não só diminuem a enxaqueca como também ajudam a minimizar as dores causadas pela fibromialgia.

  • Dificuldades cognitivas

Conhecido por “nevoeiro mental”, essa comorbidade se caracteriza pela dificuldade de concentração, atenção e consequentemente memorização. E atinge cerca de 50% dos pacientes com fibromialgia. 

Exercícios físicos e mentais (jogos que estimulam o córtex pré-frontal do cérebro) ajudam a diminuir os sintomas.

Só mais uma coisinha. Mesmo que existam alguns tratamentos que ajudam a diminuir os problemas causados por essa doença, é importante ter ciência de que o estresse físico e psicológico agrava seus sintomas.

Portanto, não deixe de se cuidar e seguir esse conjunto de terapêuticas. Porque ninguém merece sentir dor, não é mesmo?!

Publicidade