Esclerose múltipla “EM”– Tudo sobre esta doença devastadora

Esclerose múltipla (EM) – Tudo sobre esta doença devastadora

Também conhecida pela sigla “EM”, a esclerose múltipla é uma das doenças do grupo das doenças crônicas, neurológicas e autoimunes. O que significa que as células que deveriam defender o organismo passa a atacar o sistema nervoso central. Ao mesmo tempo, leva a inúmeros problemas e complicações, causando danos à saúde do corpo, mas principalmente do cérebro e da medula espinhal de quem tem esta doença.

Sintomas da esclerose múltipla

Atualmente existem muitos cientistas produzindo diversos tipos de estudos para tentar descobrir a verdadeira origem da doença, que continua desconhecida. Leia também: Asbestose: causas, sintomas, tratamento.

O principal ponto positivo dessa notícia é que ao continuarem os estudos sobre novos tratamentos para esclerose múltipla. Novas técnicas aparecem, assim, se um paciente que vive com a doença começar a se tratar com essas técnicas, ele conseguirá atrasar os danos e sintomas causados pela esclerose múltipla ao ponto de ter uma vida normal por muito tempo.

Primeiro vamos aos sintomas e depois ao tratamento.

Os sintomas da esclerose múltipla são:

1. Problemas emocionais, são eles:

Sintomas de depressão, ansiedade, mudança de humor, transtorno bipolar e aumentado na irritabilidade são os problemas emocionais que podem aparecer nos pacientes que têm essa doença.

2. Problemas cognitivos, são eles:

Processamento da memória, pois quem sofre de esclerose múltipla leva mais tempo para memorizar o que devem fazer e consequentemente a lenteza na execução de tarefas também se tornam um problema.

3. A espasticidade:

A espasticidade acontece quando há uma rigidez na hora que se movimenta um membro, normalmente os membros inferiores acusam esse sintoma primeiro. Além disso, sensação de formigamento, queimação e dor em uma parte do corpo do indivíduo também fazem parte desse sintoma.

4. Problemas visuais, são eles:

A diplopia, que é quando o paciente apresenta visão dupla e também a visão embaçada.

5. Fadiga ou cansaço:

A fadiga é aquela sensação de cansaço extremo após realizar uma tarefa, no portador de ME a fadiga aparece após o indivíduo realizar uma atividade física simples e mesmo assim fica muito cansado.

6. Problemas na fala, que são:

Problemas de tremedeira na voz, arrastando as palavras ao falar e fala lenta, além da disfagia que é a dificuldade ao engolir certos tipos de alimentos como sólidos, líquidos e pastosos.

7. Problemas de coordenação motora e equilíbrio:

Os tremores, vertigens, náuseas, debilidade no andar, e perda de equilíbrio são os sintomas que aparecem na coordenação motora e equilíbrio.

8. Problemas relacionados a sexualidade:

Geralmente, o desempenho no ato sexual cai, nos homens aparece a disfunção erétil e nas mulheres a vagina fica menos lubrificada além de comprometer a sensibilidade do períneo.

Tratamentos da esclerose múltipla.

o que causa esclerose multipla

Antes de qualquer coisa, assim que aparecer uma suspeita de sintomas de esclerose múltipla, o indivíduo deve procurar um profissional, no caso, um médico neurologista.

Os tipos de tratamentos são diversos e buscam diminuir as inflamações causadas pela doença assim como melhorar a qualidade de vida do paciente, já que ele sofrerá com cansaço e fadiga.

Vamos aos tratamentos sintomáticos da esclerose múltipla:

Novos medicamentos como:

Medicações de vias orais.
Deve ser lembrado que os medicamentos que serão colocados aqui ainda estão em estudo sobre quais os tipos de efeitos colaterais podem causar, mas eles já apresentam uma grande melhora da redução dos sintomas, proporcionando uma melhora crescente na qualidade de vida.

Os medicamentos são: O fingolimode, que já está presente no SUS, laquinomod, teriflunomide, fumarato e cladribina.

Anticorpos monoclonais

Esse tipo de medicamento vem sendo testado em pacientes com esclerose múltipla, mas seu uso é mais comum em pessoas com reumatismo, um deles é o Natalizumabe, que ganha destaque por ter começado a ser produzido atualmente com foco em casos de esclerose múltipla.

É um medicamento poderoso indicado para os casos graves dessa doença

Tratamento para esclerose múltipla

Voltando aos tipos de terapias, as terapias de apoio e seus complementares são as do tipo que ajudam no tratamento diário, focado na melhora da qualidade de vida.

Em seguida, deve-se procurar um neurologista, que é o profissional mais adequado para investigar e tratar o paciente com a doença. Existem várias doenças inflamatórias e infecciosas que podem apresentar sintomas semelhantes aos da esclerose múltipla. O mais importante é combinar os aspectos: conhecimento médico, história da pessoa e exames físicos, neurológicos e laboratoriais.

Esclerose múltipla fisioterapia

No passado, os exercícios físicos eram evitados por pessoas com “EM”, de modo a evitar o aparecimento de fadiga. Como consequência, muitos indivíduos perderam o condicionamento prematuro devido à inatividade, tornando frequentes os sinais de osteoporose e os episódios de quedas.

Com o passar dos anos, após os resultados de diversos estudos, começou a perceber os benefícios da prática de exercícios físicos, os programas de reabilitação passaram a fazer parte do tratamento da “EM”.

Desde então, muitos estudos foram publicados demonstrando a eficácia do treinamento aeróbio e intervenções para melhorar a força, equilíbrio e marcha. Contudo, é importante que o responsável por esses procedimentos compreendam as dificuldades que cada paciente pode encontrar.

Transplante de células-tronco autólogas.

É um processo complicado, o transplante de células-tronco é o chamado, tratamento de imunossupressão com altas doses, na qual é quase que interrompido por completo o trabalho do sistema imunológico, onde este está atacando o organismo que deveria defender.

Esse procedimento acontece para que, quando o transplante for realizado com sucesso, o paciente tenha a possibilidade, com as células-tronco, de produzir ou construir um sistema imunológico totalmente novo.

É realmente um procedimento complicado, esse processo pode levar à morte. Além disso, com um novo sistema imunológico muito fraco, permitindo uma violação para várias infecções, esse processo é tratado como uma exceção.

Deve-se ser dito também que o processo de TCTH (transplante de células-tronco hematopoiéticas) não cura a esclerose múltipla.

Portanto, para que você tenha uma vida saudável, é extremamente importante que você vá ao médico regularmente para que, caso tenha sintomas desta doença, inicie o tratamento o mais rápido possível, possibilitando uma vida mais tranquila no futuro.

Michele Salvino
Meu nome é Michele Salvino. Estou no último semestre da faculdade de Nutrição. Sou apaixonada pelo estilo de vida saudável, por práticas que facilitem o bem-estar.