Endometriose: o que é, sintomas, tipos e tratamentos
Endometriose

Endometriose: o que é, sintomas, tipos e tratamentos

Ainda não se sabe bem porque o tecido endometrial cresce para fora do útero. Endometriose é uma patologia na qual o endométrio, mucosa que reveste a parede interna do útero, cresce em outras regiões do corpo.

Assim, alguns sintomas da doença são: dores no período menstrual, infertilidade e dores nas relações sexuais, especialmente com penetração profunda.

Essa formação de tecido ectópico normalmente ocorre na região pélvica fora do útero, incluindo os ovários, intestino, no reto, na bexiga, nervos e peritônio (delicada membrana que reveste a pélvis).

No entanto, esse tecido também pode crescer em outras partes do corpo, como o diafragma, a pleura e os pulmões. A endometriose é um problema comum que atinge uma, a cada seis mulheres em período fértil.

Essa enfermidade tem maior chance de ocorrer se houver outros casos na família, o que sugere uma tendência genética.

Desse modo, a endometriose seja diagnosticada entre 25 e 35 anos, a doença provavelmente começa já alguns meses após o início da primeira menstruação TPM.

Estima-se, que o atraso no diagnóstico chegue a 8 anos. Isso acontece muito por conta da não valorização das dores intensas no período menstrual, principal sintoma da doença.

Endometriose causa infertilidade?

Positivo, em muitos casos o diagnóstico tardio causa infertilidade. Assim também acontece quando há acometimento das trompas, órgão que conduz o óvulo ao útero, além de poder se associar a alterações hormonais e imunológicas que dificultariam a gestação.

Contudo, outra hipótese em estudo é que a endometriose cause alterações inflamatórias e imunológicas no útero e endométrio que impede a implantação do embrião.

Endometriose em outros órgãos

Assim, endometriose é capaz de afetar até mesmo tecidos distantes, como o pulmão, o nervo ciático e o diafragma. Contudo, é importante salientar que, a doença não se espalha como um câncer, ou seja, o fato de surgir em outras regiões não são necessariamente sinal de agravamento. Inclusive, é possível ter focos à distância sem ter endometriose na pelve.

Os sintomas variam de acordo com a área acometida:

  • Pulmão: tosse com sangue
  • Bexiga: dor ao urinar
  • Intestino: dor ao evacuar e diarreia
  • Ciático: dores na lombar e no músculo posterior das coxas
  • Diafragma: dores no ombro direito e pescoço

Se o foco não for grande, o tratamento pode ser feito inicialmente com medicamentos hormonais que inibem a menstruação, exatamente da mesma forma que seria caso a endometriose se localizam nos órgãos do sistema reprodutivo.

Quem toma pílula anticoncepcional por muito tempo tem menos chance de desenvolver endometriose?

Até o momento não existe a comprovação da ligação da pílula anticoncepcional com a endometriose. Assim, sabemos que a mulher que toma pílula por muito tempo tem menos câncer de ovário e menos câncer de endométrio.

Pois, pode mascarar os sintomas, mas não existem estudos que comprovem que pílula evite a endometriose.

Gravidez cura endometriose?

Essa é uma verdade relativa: A endometriose é tratada durante a gravidez, mas não quer dizer que a mulher não vai ter a doença depois.

A endometriose tem cura?

A cura para a endometriose ainda é muito controversa. Considera-se que a cura só ocorreria através da retirada do útero (histerectomia) e possivelmente dos ovários (ooforectomia), além da retirada cirúrgica dos focos de endometriose presentes em outros locais (intestino, bexiga, pulmões, peritônio), o que, claro, só deve ser indicado em pacientes com doença muito grave e que não desejam mais ter filhos.

Sintomas de Endometriose

Dessa forma, o primeiro sintoma da endometriose é a dor pélvica, quase sempre associada ao ciclo menstrual. No entanto, mulheres com endometriose costumam dizer que a dor pélvica, durante o período de menstruação, é muito pior do que o normal e vai aumentando gradativamente.

Por que as mulheres com endometriose sentem dor?

Esse tecido do endométrio, mesmo fora do útero, continua sendo estimulado mensalmente pela ação dos hormônios do ciclo menstrual. Ao mesmo tempo, provoca uma reação inflamatória, o que causa dor quando a mulher menstrua.

A endometriose é a principal culpada pela dor pélvica feminina. E os seis principais sintomas são: cólica menstrual severa ou que não melhora com remédios, dor durante a relação sexual, dor ao evacuar ou diarreia durante a menstruação, dor para urinar no período menstrual, dores entre as menstruações e, finalmente, infertilidade.

Outros sintomas bastante frequentes da doença são:

Endometriose sintomas
  • Dismenorreia (dores no período menstrual)
  • Dor no baixo abdômen ou cólicas que podem ocorrer por uma semana ou duas antes da menstruação de forma cíclica
  • Dores nas relações sexuais com penetração, especialmente com profundidade
  • Dores ao urinar e evacuar, especialmente no período menstrual
  • Infertilidade
  • Fadiga
  • Diarreia, especialmente no período menstrual

A intensidade da dor nem sempre está relacionada à extensão do exato problema. Assim, algumas mulheres com doença muito extensa não têm dor alguma, enquanto outras com pequenos focos sentem dor a ponto de necessitarem ir a uma emergência.

Além disso, muitas vezes os sinais da endometriose podem ser confundidos com os de outras doenças, por isso é muito importante consultar um profissional da saúde antes de dar início a qualquer tipo de tratamento.

Endometriose: qual o melhor exame para iniciar a investigação?

Ultrassonografia x Ressonância Magnética

Ressaltamos que a ultrassonografia com preparo pode e deve ser o primeiro exame a ser solicitado dado a sua facilidade de acesso e baixo custo. Além disso, é um método acurado e efetivo na detecção da endometriose. Em comparação à ressonância magnética, o custo-benefício da ultrassonografia é maior, devendo a RNM estar reservado a casos mais específicos.

Veja Também : Os 5 Planos de Saúde mais baratos do Brasil

Deixe uma resposta