6 causas da queda capilar e 5 maneiras de tratar o problema

Tempo de leitura: 6 minutos

A queda de cabelo é um fenômeno muito comum e não precisa ser tratada como uma situação alarmante. No geral, existem diversos motivos que podem causar esse problema.


Um fator que pode interferir na intensidade da queda de cabelo são as estações do ano. Enquanto a primavera e o verão tendem a estabilizar uma situação assim, o outono e o inverno podem fazer com que a queda aumente.

Confira, a seguir, seis das causas mais comuns da queda capilar.

  1. Alterações hormonais: durante a adolescência, os hormônios ficam à flor da pele. É comum, portanto, que os jovens sejam acometidos pela queda de cabelo. Além disso, mulheres grávidas ou puérperas também podem sofrer com esse problema por causa dos níveis hormonais que apresentam. Ainda, outro público que pode ser prejudicado por conta dessas modificações são as mulheres que iniciaram recentemente um método anticoncepcional que possua muitos hormônios.

2. Estresse: sim, o estresse pode interferir até mesmo na sua queda capilar. Se você estiver muito estressado física e mentalmente, você pode sofrer mais com esse problema. O estresse gera um choque, depois de alguma mudança ou evento traumático. Nesse caso, o ciclo dos fios de cabelo se modifica, o que faz com que eles caiam. Além de ser uma causa direta do problema, esse pode ser um fator intensificador de quedas causadas por outros fatores.

3. Hipotireoidismo: essa condição é caracterizada pelo funcionamento incorreto da glândula tireoide. Alguns hormônios, portanto, passam a ser produzidos de forma insuficiente para o corpo. Eles são responsáveis pelo crescimento do cabelo e, quando faltam, podem fazer com que haja a queda capilar.

4. Uso de antidepressivos: os antidepressivos podem ser causadores da queda capilar. Eles são causados a raiz do problema quando o tratamento está no início ou quando ele está em curso há muito tempo. Nesse sentido, é preciso externar a situação para seu médico responsável pela receita do medicamento e ver se existe a possibilidade de troca.

5. Anemia: a anemia faz com que os fios de cabelo recebam menos nutrientes, sangue e oxigênio. Por conta disso, eles se tornam mais frágeis e acabam se quebrando mais facilmente, o que também corrobora para a queda capilar.

6. Gravidez: a queda de cabelo durante a gestação está diretamente ligada à causa 1, alterações hormonais. Enquanto a mulher está grávida, o estresse também pode corroborar para que os cabelos fiquem mais frágeis e caiam. O hormônio progesterona, mais intenso nessa fase, é intensificado, e acaba ressecando o cabelo. Depois do parto, também é comum que essa condição seja apresentada nos 3 primeiros meses após o parto.

A queda de cabelo, apesar de ser extremamente comum e possuir diversas causas, pode ser tratada com facilidade, dependendo do caso apresentado. Você pode procurar assistência médica ou pode recorrer ao autotratamento, realizado em casa, para resolver essa situação.

Nesse sentido, confira alguns métodos que podem colaborar para a minimização ou mesmo eliminação desse problema.

  1. Shampoo antiqueda: os shampoos antiquedas são muito comuns no mercado e prometem resolver o problema de pessoas que possuem queda de cabelo não tão acentuada. Nesse sentido, shampoos orgânicos são muito eficazes.
  2. Minoxidil: esse é um medicamento muito comum para o tratamento da queda de cabelo e da calvície. Sua concentração é de 5%, e eles fazem com que a circulação sanguínea aumente na região do couro cabeludo, levando mais oxigênio à área. Isso gera o crescimento mais forte e saudável do cabelo. Apesar de ser muito eficiente, existem algumas orientações específicas para a aplicação e até mesmo para a potencialização dos efeitos apresentados pelo Minoxidil.
  3. Troca de medicamentos: como ficou claro na lista de causas da queda capilar, um fator muito comum que pode gerar esse problema é o uso de medicamentos anticoncepcionais ou antidepressivos. Nesse caso, o melhor a fazer é entrar em contato com o médico para que ele avalie se existe a possibilidade de troca do remédio que está sendo consumido.
  4. Diminuição do estresse: como o estresse é um causador potencial da queda capilar – ou é pelo menos responsável por intensificá-la – o indivíduo que sofre com esse problema deve procurar maneiras de diminuir seu estresse. Um método é investir nas atividades de lazer que podem ser extremamente benéficas para a saúde no geral.
  5. Boa alimentação: uma boa alimentação é essencial para que as pessoas não desenvolvam anemia e, com isso, fiquem fracas em nutrientes. Como o couro cabeludo não recebe essas substâncias, sangue e nem oxigênio, os cabelos ficam muito fracos e quebradiços. Se você não costuma manter

Queda de cabelo e alimentação:

Se você não costuma manter uma alimentação saudável, saiba que isso pode afetar a sua saúde capilar, dessa forma esse é mais um dos motivos para mudança nas suas refeições.

No geral, a queda capilar é um problema que pode ser resolvido facilmente e sem a ajuda de um profissional. No entanto, por trás dessa condição, podem estar escondidas algumas situações mais graves, que precisam ser identificadas e tratadas.

Por conta disso, se você tentar algumas dicas e perceber que elas não se mostrarem eficientes, o ideal é buscar um médico para que a solução possa ser encontrada com maior facilidade.


Se o seu problema for muito intenso e precisar de intervenção, existem algumas soluções mais complexas e sofisticadas. A carboxiterapia, por exemplo, intensifica a irrigação de sangue do couro cabeludo, fazendo com que o indivíduo consiga usar substâncias químicas que são penetradas com mais facilidade.

Transplante Capilar 


O implante de cabelos chega a ser um procedimento cirúrgico, que possui resultado instantâneo. No entanto, os fios podem cair após um tempo, e é uma alternativa mais custosa, que pode chegar até os 25 mil reais.


O transplante de cabelos, por sua vez, faz com que o próprio indivíduo perca uma faixa de cabelo na parte de trás da cabeça para que esses fios sejam implantados na frente, próximo a testa.


Existe, ainda, o tratamento com laser de baixa potência, que deve ser executado uma vez por semana e deve ser repetido por no mínimo dez vezes. Nesse caso, ele promove a regeneração da matriz que perdeu os fios, fazendo que o cabelo saudável não caía e o problema seja minimizado ao longo do tempo.

Publicidade