Benefícios da Chlorella- Para Que Serve?

Você sabe quais são os benefícios da Chlorella e as utilidades deste alimento tão poderoso?

Veremos a seguir os principais benefícios da chlorella, entendendo para que serve essa alga, quais propriedades se destacam e o que é exatamente.

Uma única porção de 20 gramas de chlorella em pó fornece quase 15 gramas de proteína, a mesma quantidade encontrada em três ovos, ou o equivalente a 20% das necessidades diárias de um adulto.

Benefícios da Chlorella

Com alto valor nutritivo e uma série de propriedades medicinais, o seu consumo pode elevar a sua saúde e auxiliar no tratamento e prevenção de algumas doenças.

A chlorella também contém uma série de vitaminas e minerais que podem auxiliar na perda de peso, desintoxicação do organismo, melhora do funcionamento intestinal e até mesmo ganho de massa magra.

Chlorella: o que é?

chlorella é uma alga comestível de alto valor nutricional, sendo fonte de uma grande variedade de vitaminas, minerais, aminoácidos, e outros elementos importante, como a clorofila, pigmento responsável pela coloração verde.

A composição da chlorella consiste em torno de 50% de proteínas, como glutamina, alanina, serina, glicina, prolina, asparagina, mas também é rica em elementos como fósforo, potássio, manganês, cálcio, ferro, zinco e vitaminas do complexo B, principalmente a B12, vitamina C e vitamina E, entre outras substâncias em menor quantidade.

Para Que Serve a Chlorella?

A chlorella serve como uma fonte prática e acessível de todos os aminoácidos essenciais, que são utilizados para a reparação muscular e uma série de outras funções no corpo.

A alga é também considerada um dos melhores alimentos desintoxicantes, sendo inclusive utilizada para a remoção de metais pesados do corpo.

Outros usos da chlorella incluem:

  • Emagrecimento
  • Fortalecimento do sistema imunológico
  • Aumento dos níveis de energia e disposição
  • Diminuição dos níveis de colesterol
  • Prevenção ao câncer
  • Melhora do funcionamento do intestino
  • Controle da pressão arterial

Benefícios da Chlorella

Assim como já ocorre com outros “superalimentos”, a chlorella está associada a alguns benefícios que ainda não possuem comprovação científica. Por este motivo, vamos listar abaixo apenas os benefícios da chlorella que foram alvos de pesquisas.

1- Perda de peso

Muitas pessoas utilizam a alga por suas propriedades emagrecedoras, e este é de fato um dos principais benefícios da chlorella comprovados pela ciência. Veja o que dizem as pesquisas:

  • Estudo em animais

Uma pesquisa publicada em 2004 no periódico Phytotherapy Research demonstrou que o extrato de chlorella foi responsável por impedir o ganho de peso em ratas cujos ovários haviam sido retirados.

Esse resultado sugere que mulheres na pós-menopausa podem se beneficiar do uso da alga para combater o excesso de peso associado às variações hormonais da menopausa.

  • Estudo humano

Outro estudo desenvolvido no Japão (país que aliás é o maior consumidor de suplementos de chlorella no mundo) encontrou uma relação direta entre a alga e a balança.

Pesquisadores dividiram 34 participantes em 2 grupos de mesmo tamanho. Enquanto o primeiro era composto por voluntários com alto risco para doenças relacionadas aos maus hábitos alimentares (diabetes, pressão alta, problemas cardíacos), os demais 17 participantes eram saudáveis. Todos os participantes receberam a alga diariamente.

Após 16 semanas, os autores do estudo fizeram análise do sangue de todos os 34 voluntários e notaram que:

  • houve uma significativa redução no percentual de gordura corporal;
  • os valores da glicemia em jejum também diminuíram, o que pode ser indicativo de uma melhora na sensibilidade à insulina.

E para que serve esse resultado?

Em primeiro lugar, ele indica que a chlorella atua no metabolismo das gorduras, favorecendo sua utilização e diminuindo as reservas preexistentes. Ou seja, a chlorella pode ajudar a queimar gordura.

Já o efeito da chlorella sobre a glicemia indica que menos insulina será liberada pelo pâncreas. Para quem está fazendo dieta para emagrecer, isso significa um maior controle do apetite e uma tendência menor ao acúmulo de gordura.

  • Estudo recente

Em 2009, o pesquisador Randall Merchant da Virginia Commonwealth University afirmou em uma entrevista que estudos preliminares indicavam que a chlorella poderia afetar os genes que controlam a insulina.

Uma pesquisa de 2014 publicada no Health Promotion Perspectives parece confirmar a teoria do Dr. Merchant. Cientistas descobriram que pacientes com esteatose hepática (gordura no fígado) que haviam sido tratados com chlorella apresentaram:

  • Uma perda de peso significativa;
  • Melhora nos valores das enzimas do fígado;
  • Diminuição da glicemia em jejum;
  • Redução do colesterol.

A análise dos estudos acima permite concluir que a chlorella pode ser auxiliar do processo de emagrecimento porque acelera o metabolismo, melhora a sensibilidade à insulina e reduz a reabsorção de colesterol no intestino.

Além disso, o alto teor de fibras e nutrientes da chlorella podem ajudar a reduzir a vontade de comer alimentos pouco saudáveis, já que esta muitas vezes ocorre por carência de determinados nutrientes.

2- A chlorella é uma ótima fonte de glutationa

Ao mesmo tempo em que o sol é indispensável para a fotossíntese, ele também leva à formação de radicais livres. Para se proteger destes agentes que poderiam causar até mesmo a morte da alga, a chlorella sintetiza a sua própria glutationa.

Nosso fígado também produz a substância, que é utilizada para processos de intoxicação por álcool, drogas, nicotina, poluição, determinados alimentos, etc.

Como nossa produção de glutationa diminui com a idade, tomar chlorella regularmente pode ser uma maneira bastante eficaz para melhorar as funções do fígado, facilitando a eliminação de toxinas e o combate aos radicais livres.

3- Desintoxicação

Regularmente somos expostos a uma série de metais pesados sem sequer nos darmos conta. Alguns deles, como o chumbo, urânio, alumínio, cádmio e mercúrio acabam se alojando nos ossos e no sistema nervoso central, e com o passar do tempo podem levar a uma intoxicação severa.

Conhecidas como agentes quelantes, algumas substâncias podem ajudar na desintoxicação dos órgãos e tecidos. Dentre elas, temos a chlorella e o coentro, que são considerados os mais potentes quelantes naturais.

Inúmeros estudos têm demonstrado o potencial desintoxicante da chlorella, que pode não apenas impedir que metais pesados se acumulem nos órgãos e tecidos, como também ajudar a eliminar as toxinas e metais já presentes no corpo.

Essa propriedade da alga se deve à sua atuação como um “envelope”, que envolve os materiais tóxicos e facilita sua eliminação pelo organismo. Em um estudo desenvolvido no Japão, a chlorella acelerou em 700% a velocidade normal de excreção do cádmio em pacientes intoxicados pelo metal.

Uma revisão de estudos sobre os efeitos quelantes da chlorella e do coentro demonstrou que a associação das duas plantas foi responsável por uma remoção (em apenas 42 dias) do corpo de voluntários de:

  • 74% de alumínio
  • 87% de chumbo
  • 91% de mercúrio

Pesquisadores russos desenvolveram um estudo com 350 trabalhadores da indústria metalúrgica que haviam sido expostos a grandes concentrações de chumbo, antimônio, arsênio e cádmio.

Após três anos testando os efeitos de 20 agentes quelantes naturais, os cientistas concluíram que:

  • a chlorella é imbatível para desintoxicar o corpo quando associada ao coentro;
  • a combinação das duas plantas quelantes foi capaz de eliminar todos os metais pesados (inclusive o mercúrio) que haviam se acumulado nos participantes analisados.

4- Previne a anemia

O alto teor de ferro da chlorella fazem dela uma ótima opção para evitar a anemia, já que a alga estimula a produção de células vermelhas (hemácias). E um nível adequado de hemácias garante o fornecimento de oxigênio para todos os tecidos, como os músculos e o cérebro.

5- Fortalecimento do Sistema Imunológico

Uma pesquisa publicada em 2012 no Nutrition Journal concluiu que o uso diário de chlorella durante 8 semanas foi responsável por um aumento na atividade das células NK.

Integrantes do sistema de defesa do organismo, as células Natural Killer, ou exterminadores naturais, são um tipo de linfócito (glóbulo branco) que atua especialmente no combate a tumores e infecções virais.

Os resultados do estudo desenvolvido na Yonsei University da Coréia do Sul levaram os autores da pesquisa a afirmar que a chlorella fortalece o sistema imunológico e estimula a ação de células NK.

6- Ganho de Massa Muscular

Sendo uma excelente fonte de vitaminas, aminoácidos e minerais, a chlorella ajuda a estimular a dilatação das artérias e a formação de novos glóbulos vermelhos.

Como resultado, há mais oxigênio e nutrientes disponíveis para as fibras musculares efetuarem os processos de regeneração e crescimento muscular.

7- Combate o Câncer

Um dos benefícios da chlorella que tem sido mais recentemente investigado é sua atuação no combate ao câncer. Os carotenoides da alga previnem a oxidação das células, uma das principais causas da doença.

A chlorella também ajuda a prevenir o câncer através do fortalecimento do sistema imunológico. Cientistas têm observado que a alga estimula a atividade dos macrófagos e das células T, aumentando a capacidade do sistema imune de combater não apenas as células tumorais como também vírus, bactérias e outros potenciais agressores.

8- Previne o Diabetes

A chlorella tem um efeito direto na ação da insulina, aumentando a sensibilidade das células ao hormônio e facilitando o controle da glicemia.

Em um estudo publicado no Journal of Medicinal Food, pesquisadores observaram que o consumo diário de 8 gramas de chlorella (divididas em duas doses diárias) levou a uma diminuição das taxas de glicose e de LDL na circulação.

Como a alga também fortalece a visão (através da atuação dos carotenoides), o consumo regular do alimento pode ajudar a diminuir o risco de perda de visão associada ao diabetes.

9- Diminui as dores

Participantes de um estudo clínico que sofriam regularmente com dores e rigidez das articulações relataram uma diminuição de até 22% na intensidade dos sintomas após o tratamento com 10 gramas diárias de chlorella.

10- Rejuvenescimento

Infelizmente a alga não é capaz de interromper a passagem do tempo, mas ela pode ajudar a combater alguns de seus indesejáveis efeitos.

Um estudo publicado no periódico especializado Clinical Laboratory revelou que a chlorella reduz o estresse oxidativo causado pelos radicais livres.

Formados por fatores como má alimentação, poluição, exposição excessiva aos raios ultravioleta do sol e o tabagismo, esses radicais podem causar danos irreparáveis às células e ainda destruir a estrutura do colágeno, a proteína que dá sustentação à pele.

A chlorella combate os radicais livres graças à presença da glutationa e das vitaminas A e C, esta última indispensável para a síntese de colágeno.

A alga também é uma excelente fonte de ácidos nucléicos (fator de crescimento da chlorella), moléculas necessárias para o rejuvenescimento e a passagem de informação genética para as células.

Pesquisas preliminares têm indicado que o consumo de ácidos nucléicos pode ser altamente benéfico para a manutenção da saúde e de uma aparência mais jovem.

11- Saúde do coração

Estudos isolados demonstraram que a chlorella pode diminuir as taxas de LDL (colesterol ruim) e triglicérides, além de também controlar a pressão arterial. Somando estes benefícios com as propriedades antioxidantes da chlorella, temos que a alga pode ser utilizada para prevenir complicações do sistema cardiovascular, como arteriosclerose e enfarto.

Dicas

recomendação de consumo

As cápsulas ou comprimidos são opções mais eficazes para tomar a chlorella e obter os seus benefícios, pois a  celulose e fibras já foram retiradas e os seus micronutrientes estão mais disponíveis para absorção.

A dose pode variar de acordo com fatores individuais, o nutricionista pode ajudar no ajuste dessa quantidade.

De modo geral, sugere-se o consumo próximo ao momento das grandes refeições (almoço e jantar), para facilitar a eliminação de toxinas também contida nos alimentos.