O que é a amigdalite bacteriana, como se pega e melhor tratamento

A amigdalite bacteriana é uma inflamação das amígdalas, que são estruturas localizadas na garganta, causada por bactérias geralmente do gênero Streptococcus. Assim, a inflamação normalmente pode causa febre, dor de garganta e dificuldade para engolir, o que leva à perda de apetite.

Contudo, o diagnóstico da amigdalite bacteriana é feito pelo profissional da saúde com base nos sintomas e na observação da garganta, mas também pode ser pedido um exame microbiológico para identificar a espécie de bactéria que está causando a amigdalite e, assim, ser possível indicar o mais adequado antibiótico, que é o tipo de tratamento mais utilizado.

Sintomas de Amigdalite

Os principais sintomas que podem surgir com a amigdalite bacteriana são:

  • Dor de garganta intensa;
  • Dificuldade para engolir;
  • Febre alta;
  • Calafrios;
  • Pontos brancos na garganta (pus);
  • Perda de apetite;
  • Dor de cabeça;
  • Inchaço das amígdalas.

A amigdalite bacteriana pode aparecer em qualquer idade, mas é mais frequente em crianças. Além disso, é mais fácil de surgir em pessoas que possuem o sistema imunológico comprometido, já que se trata de uma infecção oportunista.

Diagnóstico de Amigdalite

Na maior parte dos casos, o diagnóstico é clínico, ou seja, a amigdalite bacteriana é identificada apenas com a avaliação dos sintomas e observação da garganta no consultório.

No entanto, também existem casos em que o médico pode pedir um exame microbiológico para entender qual a bactéria que está causando a infecção nas amígdalas, adequando melhor o tratamento.

Como se pega a amigdalite

Amigdalite sintomas

A amigdalite bacteriana normalmente é transmitida quando se inspira gotículas, de tosse ou espirro, contaminado com bactérias que acabam se alojando nas amígdalas, se desenvolvem e causam a inflamação das amígdalas.
No entanto, também se pode pegar amigdalite quando se toca em um objeto infectado, como a maçaneta de uma porta, por exemplo, e depois se mexe no nariz ou na boca, sem lavar as mãos antes. É por essa razão que as amigdalites são mais comuns em crianças, já que têm maiores chances de colocar as mãos sujas na boca, por exemplo.

Fatores de risco

Alguns fatores são considerados de risco para o desenvolvimento de amigdalite bacteriana. Confira alguns deles:

  • Idade: pessoas mais jovens costumam ter mais chances de apresentar a doença do que pessoas mais velhas. Geralmente, amigdalite aparece em crianças e pré-adolescentes.
  • Exposição a vírus e bactérias também pode levar ao surgimento da amigdalite, especialmente em crianças que frequentem creches e escolas.

Amigdalite tem cura?

Afinal amigdalite tem cura, sim. Os sintomas de amigdalite costumam desaparecer no máximo de dois a três dias depois do início do tratamento em casos mais simples. Normalmente a infecção é curada após o término do tratamento, mas algumas pessoas podem precisar de mais um ciclo de antibióticos.

Contudo, as complicações de amigdalite causada por estreptococos, se não tratadas, podem ser graves. Além disso, crianças com amigdalite associada à infecção estreptocócica ou à faringite devem geralmente resguardar em casa até que tenham tomado os antibióticos por 24 horas. Isso ajuda a reduzir a carga viral da doença. Em alguns casos, necessita de cirurgia para remoção das amígdalas.

Diagnóstico de Amigdalite

O tratamento da amigdalite bacteriana é quase sempre feito com o uso de um antibiótico de amplo espectro, como a amoxicilina, que permite eliminar o excesso de bactérias.

Esse antibiótico pode ser indicado pelo profissional da saúde apenas com a avaliação e observação dos sinais e sintomas e, normalmente, existe uma melhora do quadro em até 3 a 5 dias após o início do tratamento.

Se os sintomas não tiverem melhora, ou se existir piora, o médico pode pedir um exame microbiológico para poder entender melhor qual o tipo de bactéria que está nas amígdalas, adequado o tratamento para usar o antibiótico mais específico e indicado para o tipo de bactéria identificado nesse caso.

Em casos mais crônicos, quando a amigdalite bacteriana persiste por mais de três meses ou é recorrente, pode ser indicada a remoção das amígdalas. 

É importante realizar o tratamento da amigdalite conforme orientação do médico para evitar complicações, como abscessos e febre reumática, por exemplo

Amigdalite aguda

Complicações possíveis

 Amigdalite bactéria pode levar a complicações mais graves, como:

  • Dificuldade para respirar, causada pela obstrução das vias respiratórias devido a amígdalas inchadas
  • Desidratação causada por dificuldade na ingestão de líquidos
  • Insuficiência renal
  • Abscesso perintonsilar ou abscesso em outras partes da garganta
  • Faringite bacteriana
  • Febre reumática e transtornos cardiovasculares associados a ela.

Amigdalite remédio caseiro

Atenção as opções caseiras de tratamento devem ser sempre usadas como suplemento do tratamento indicado pelo médico e nunca como substituição. Da mesma forma, também se deve comunicar o médico sobre o uso de algum remédio caseiro, já que pode acabar interferindo com o funcionamento do antibiótico.

No entanto, um tratamento que quase sempre pode ser usado para ajudar a aliviar os sintomas durante o tratamento com o antibiótico é o gargarejo com água morna e sal, 2 a 3 vezes por dia.