Amigdalite bacteriana: Como se adquire e qual o tratamento ideal

Amigdalite bacteriana
Amigdalite bacteriana

Você alguma vez já sentiu a sua garganta inflamada, causando aquela dificuldade de engolir que prejudica até na sua alimentação? Saiba que isso pode ser facilmente uma amigdalite bacteriana.

Dessa forma, estamos falando de uma inflamação na região das amígdalas, sendo estruturas localizadas na garganta, que podem causar um extremo desconforto.

No entanto, sabemos o quanto esse nome pode suar estranho para você, principalmente se esse é o seu primeiro contato com ele.

Assim, dúvidas como: como se adquire essa inflamação? Qual o tratamento? Como é feito o Diagnóstico? E dentre outras coisas, são muito comuns.

Portanto, para que você consiga entender melhor sobre tudo isso, citaremos um guia completo sobre a amigdalite bacteriana.

Até porque, em grande parte dos casos, a falta de um tratamento precoce, pode gerar complicações.

O que é a amigdalite bacteriana?

O que é a amigdalite bacteriana
Amígdalas bucais

A amigdalite bacteriana é uma inflamação das amígdalas, onde essas são estruturas como se fossem almofadas de tecido, que ficam localizadas na garganta, em grande parte causada por uma bactéria do gênero Streptococcus.

Assim, essa inflamação pode causar febre, dor de garganta, dificuldade para engolir e sensibilidade maior principalmente na hora de engolir os alimentos.

Acredite, esse problema pode levar normalmente até a perda de apetite, principalmente devido à dificuldade para engolir.

A maioria dos casos da amigdalite, são causados por infecção de vírus comuns, mas também, pode vim a ocorrer, por infecções bacterianas.

O tipo de caso pode mudar até mesmo de intensidade, de pessoa para pessoa, o que o ideal é realizar o diagnostico rápido e preciso, para iniciar o mais rápido o tratamento.

Lembrando que não existe idade para vim a ter os sintomas, mas é uma doença mais comum em crianças, ou pessoas com sistema imunológico fraco ou comprometido.

Atualmente, muitas pessoas podem não considerar importante, mas é um problema de extrema importância, e poucas pessoas conhecem.

Sintomas de Amigdalite bacteriana

A principal forma de você descobrir se está com amigdalite bacteriana, antes de realizar o diagnóstico, é ficando atento aos sintomas.

Desse modo, os sintomas mais comuns que você pode ter, são:

  • Amígdalas vermelhas e inchadas;
  • Revestimento ou manchas brancas ou amarelas nas amígdalas;
  • Dor de garganta que não desaparece em 24 a 48 horas ou acompanhada com febre;
  • Deglutição difícil ou dolorosa;
  • Febre;
  • Dor no pescoço ou torcicolo;
  • Dor de cabeça;
  • Gânglios aumentados e sensíveis (nódulos linfáticos) no pescoço;
  • Uma voz rouca, abafada ou gutural;
  • Mal hálito;
  • Dor de estômago;

No entanto, como já citamos, a amigdalite bacteriana é muito comum em crianças pequenas, onde muitas não conseguem descrever os sintomas.

Sendo assim, os principais sintomas que você pode perceber, de acordo com os sinais da criança, são:

  • Babando devido à dificuldade ou dor para engolir
  • Recusa em comer ou até beber
  • Agitação incomum
  • Muita fraqueza ou fadiga

Portanto, se esses sintomas vêm sendo muito persistentes e frequentes, pode ser um bom momento para você procura o médico.

Vale ressaltar novamente que quando mais cedo é feito o diagnóstico, menores serão os riscos de complicações.

Como é feito o diagnóstico de Amigdalite

Grande parte das vezes, o diagnostico deverá ser feito em clínica, com um analise médica e exames simples.

No entanto, também existem casos em que o médico pode pedir um exame microbiológico para entender qual a bactéria que está causando a infecção nas amígdalas, adequando melhor o tratamento.

Até porque, como já citamos, a amigdalite pode surgir tanto por decorrência de vírus, como também por bactérias.

Logo, é muito importante em grande parte das vezes descobrir o surgimento, para assim direcionar o paciente para o tratamento correto.

Realizar o tratamento direcionando para o correto, e de forma precoce, evitará maiores problemas.

Como se pega a amigdalite bacteriana?

Como se pega a amigdalite
Diagnóstico de amigdalite bacteriana

A amigdalite mais frequente, terá sua causa graças a um vírus comum, mas, esse problema também pode surgir devido a bactérias.

Dessa forma, a bactéria mais comum que causa amigdalite é o Streptococcus pyogenes (streptococcus do grupo A), causadora da infecção na garganta.


Asim, acredita-se que pode se pegar amigdalite quando se toca em um objeto infectado, como a maçaneta de uma porta, por exemplo, e depois se mexe no nariz ou na boca, sem lavar as mãos antes.

É por essa razão que as amigdalites são mais comuns em crianças, já que têm maiores chances de colocar as mãos sujas na boca, por exemplo.

Porque as amigdalas infeccionam?

Uma grande dúvida que você pode ter na procura de entender as principais causas da amigdalas bacteriana, é porque essa região é infeccionada?

O que há de especial nelas, para serem as principais infeccionadas, e não a garganta em si ou outros lugares?

E a resposta para isso é muito simples.

Nesse sentido, as amígdalas são a primeira linha de defesa do sistema imunológico contra bactérias e vírus que entram na boca.

Desse modo, isso infelizmente acaba deixando essa região bastante exposta, o que fica extremamente vulnerável a infecções e inflamações.

Porém, se você é adulto, a função de sistema imunológico da amigdalas diminuem depois de criança, onde será bem raro ocorrer esses casos em você.

Pode transmitir amigdalite bacteriana pelo beijo?

Uma dúvida até muito comum pelo público mais jovem, é: Pode transmitir amigdalite bacteriana pelo beijo?

E a resposta é que sim.

Você deve saber que a cárie, amigdalite e infecções bucais comuns, pode transmitir pelo beijo.

Então, fique atento a isso.

Fatores de risco

Você deve saber que assim com outros problemas, na amigdalite bacteriana, existem alguns fatores de riscos que elevam a incidência do problema.

Confira alguns deles:

  • Idade: A amigdalite afeta com mais frequência crianças, e a amigdalite causada por bactérias é mais comum em crianças de 5 a 15 anos. Muitos consideram como a “infecção dos mais jovens”.
  • Exposição frequente a germes: Crianças em idade escolar estão em contato próximo com seus colegas e frequentemente expostas a vírus ou bactérias que podem causar amigdalite.
  • Genética: acredita-se, sem estudos comprovados ainda, que a genética pode influenciar na causa da amigdalite bacteriana em crianças.

Ou seja, quem se encaixa nesses fatores de riscos, são bem mais prováveis de vim a ter esse tipo de problema.

Amigdalite bacteriana tem cura?

A dúvida que pode não calar nesse momento é: afinal amigdalite tem cura?

A resposta para isso é que sim.

Primeiramente, os sintomas de amigdalite costumam desaparecer no máximo de dois a três dias depois do início do tratamento em casos mais simples.

Normalmente a infecção se encerra logo após o tratamento, mas, algumas pessoas podem necessitar do uso de antibióticos, mesmo após realizar o processo de tratamento.

Contudo, vale ressaltar que as complicações de amigdalite causada por estreptococos, se não tratadas, podem ser graves.

Além disso, devem geralmente resguardar em casa até que tenham tomado os antibióticos por 24 horas.

Sendo assim, isso vai ajudar diretamente a evitar maiores problemas, principalmente complicações.

Em alguns casos, principalmente se for feito um diagnostico tardio, pode ser necessário uma cirurgia para remoção das amígdalas.

Diagnóstico de Amigdalite

O diagnóstico será feito por um médico especializado na área, como um otorrinolaringologista, ou até mesmo por um clinico geral, através de exames e analises.

Logo após, depois de ser feita a comprovação, é indicado o uso de um antibiótico, geralmente de amplo espectro, como a amoxicilina.

O foco principal da amoxicilina será eliminar o excesso de bactérias naquela região.

Normalmente, existe uma melhora do quadro do paciente, em até 3 a 5 dias após o início do tratamento com o antibiótico.

Claro, se o uso for contínuo e respeitado conforme indicado pelo médico.

Se os sintomas não tiverem melhora, ou se existir piora, o médico pode pedir um exame microbiológico para poder entender melhor qual o tipo de bactéria que está nas amígdalas.

Assim, só depois disso que será possível passar um tratamento mais intensivo, na busca de acabar com a bactéria ou vírus.

Em casos mais crônicos, quando a amigdalite bacteriana persiste por mais de três meses ou é recorrente, pode ser indicada a remoção das amígdalas. 

Por fim, saiba que sempre é ideal procurar um médico especializado, pois, só ele poderá passar exatamente qual o tratamento correto e mais indicado.

Complicações possíveis para amigdalite bacteriana

 Amigdalite bactéria pode levar a complicações mais graves, como:

  • Dificuldade para respirar, causada pela obstrução das vias respiratórias devido a amígdalas inchadas
  • Desidratação causada por dificuldade na ingestão de líquidos
  • Abscesso perintonsilar ou abscesso em outras partes da garganta
  • Faringite bacteriana
  • Febre reumática e transtornos cardiovasculares associados a ela.

Dessa forma, é indicado sempre que houver esses tipos de complicações, procurar urgentemente um médico, na busca de um tratamento precoce.

Portanto, fique ligado aos sintomas, e em caso de complicações, não pense 2 vezes antes de procurar ajuda médica.

Considerações finais

Conhecer a amigdalite bacteriana, é algo essencial para evitar sempre maiores complicações, e estar por dentro da sua saúde, e quem estiver próximo a você.

Então, tenha sempre sua saúde, principalmente bucal, como uma forte prioridade em sua vida.

Nos vemos em breve.

Michele Salvino
Meu nome é Michele Salvino. Estou no último semestre da faculdade de Nutrição. Sou apaixonada pelo estilo de vida saudável, por práticas que facilitem o bem-estar.